Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

O USO DA ACETAZOLAMIDA NO TRATAMENTO DA APNÉIA DA CENTRAL : RELATO DE CASO

Introdução

A apnéia central do sono é caracterizada por uma respiração desordenada associada a diminuição ou ausência de esforço respiratório, juntamente com sintomas como sonolência diurna excessiva, despertares noturnos frequentes ou ambos. No entanto, não há uma diretriz terapêutica para esta patologia, sendo portanto, o objetivo deste trabalho relatar o uso da acetazolamida como opção medicamentosa para esta patologia.

Objetivo

-

Métodos

-

Resultados

S.L, masculino, 37 anos, deu entrada em nosso serviço, em uso regular de BIPAP, trazendo polissonografia de outro local, com presença de IAH 38 e/h e número absoluto de 138 apneias centrais. porém persistência de sintomas diurnos e noturnos.

Solicitamos nova polissonografia, com resultados de IAH de 18,2 e/h, número absoluto de 40 apneias centrais e índice de 6,8 e/h. Descartado insuficiência cardíaca congestiva e doenças pulmonares.

Após otimização de parâmetros de BIPAP, o paciente persistiu com os mesmos sintomas. Iniciamos acetazolamida 500 mg/dia e explicamos a respeito de efeitos colaterais. Duas semanas após, devido a melhora do paciente , aumentamos a dose de acetazolamida para 750mg/dia.

Solicitamos polissonografia de controle que apresentou redução de 50% de apneias, com número absoluto de 22 apneias centrais, índice de 4,19 e/h e IAH de 9,52 e/h, em vigência de boa eficiência de sono e médias equivalentes de porcentagem de estágios de sono, como na polissonografia anterior. O paciente segue em acompanhamento, com melhora objetiva e subjetiva das queixas.

Conclusões

A apneia central é um distúrbio respiratório prevalente porém bem menos estudado que a apneia obstrutiva. Recentemente, vários tratamentos foram estabelecidos para apneia central, sendo a pressão positiva a primeira recomendação. Dentre as medicações, estudos citam o agonista GABA não benzodiazepínico e o inibidor da anidrase carbônica (acetazolamida), opções efetivas e seguras.

O uso de baixa doses da acetazolamida foi capaz de reduzir o número de apneias centrais. Acredita-se que ela não atue apenas no equilíbrio ácido basico, mas também diretamente nos quimiorrecpetores periféricos, diminuindo a atividade periférica destes e a sensibilidade a variações da da PaO2.

Muitos estudos recentes demonstram a relevância desta patologia, no entanto, poucas estratégias terapêuticas têm sido descritas, necessitando-se, portanto, de mais estudos para o estabelecimento de uma diretriz terapêutica

Palavras-chave

Apneia central, Acetazolamida, Tratamento

Área

Relato de Caso

Autores

ÍSIS IKUMI SHIBASAKI, LAYS APARECIDA EVANGELISTA, CARLOS MAURÍCIO OLIVEIRA DE ALMEIDA, ALAN LUIZ ECKELI