Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

FATORES ASSOCIADOS À BAIXA DURAÇÃO DO SONO EM ADOLESCENTES DA CIDADE DE FORTALEZA, CEARÁ

Introdução

Ao longo da vida, o ser humano passa por transformações, tanto em sua forma física quanto em seu comportamento. Nesse contexto, em especial na adolescência, é possível observar importantes mudanças na expressão do ciclo vígilia/sono que incluem um atraso na fase de sono, caracterizado por horários de dormir e acordar mais tardios. Essa tendência biológica pode ser exacerbada por comportamentos como o uso de mídias eletrônicas durante a noite, que, somado aos compromissos sociais no início da manhã, aumenta a prevalência de baixa duração do sono nessa população.

Objetivo

Investigar a prevalência e os fatores associados à baixa duração do sono em adolescentes da cidade de Fortaleza (CE), Brasil.

Métodos

Estudo transversal realizado com 7.684 adolescentes, (52,5% do sexo feminino; 15 a 17 anos de idade), regularmente matriculados em 123 escolas da rede pública estadual de ensino, localizadas na cidade de Fortaleza. O autopreenchimento de questionários foi utilizado para obtenção das variáveis sociodemográficas (sexo, idade, série e turno de estudo) e comportamentais (duração do sono semanal, trabalho e uso de aparelho celular para acessar redes sociais e/ou aplicativos para troca de mensagens textuais antes de dormir). As associações foram verificadas por meio do teste Qui-quadrado através do software SPSS 21.0.

Resultados

A prevalência de baixa duração do sono (<8h por dia) foi de 47,6%. Os adolescentes que estudavam no turno da manhã apresentaram maior prevalência de baixa duração do sono (63,0%), com relação aos do turno da tarde e noite (38,1% e 56,0% respectivamente). Aqueles que trabalhavam apresentaram maior prevalência de baixa duração do sono, quando comparados aos que não trabalhavam (61,3% e 43,5 respectivamente). A faixa etária, série e o uso de celular antes de dormir também estiveram associados a baixa duração do sono.

Conclusões

Registrou-se um elevado número de adolescentes do turno da manhã e trabalhadores com baixa duração do sono. Apenas a variável sexo não esteve associada à baixa duração do sono. Sugere-se a realização de outros estudos que possam investigar os fatores associados à baixa duração do sono em adolescentes com outras variáveis.

Palavras-chave

Saúde escolar, sono, adolescentes

Área

Área Básica

Autores

Felipe Rocha Alves , Evanice Avelino de Souza , Pedro Felipe Carvalhedo de Bruin, Katiuscia Barbosa Cidrão Alcantara, João Paulo Lima Vasconcelos , Antônio Kennedy de Sousa Braga , Noltevir Martins Lopes , Luana Gabrielle de França Ferreira