Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ASSOCIAÇÃO DO TURNO DE ESTUDO COM A BAIXA DURAÇÃO DO SONO EM UNIVERSITÁRIOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA CIDADE DE FORTALEZA, NORDESTE DO BRASIL.

Introdução

O ensino superior é um período em que o indivíduo recebe muitas exigências, cumprir horas com atividades complementares, fazer estágio, dentre outras atividades que contribuem para diminuição das horas de sono. No entanto, a educação física, como parcela do ensino superior, tem buscado legitimar o discurso dos que defendem a ideia de uma vida saudável, no mesmo período de formação acadêmica. Entretanto, aspectos relacionados ao estilo de vida e saúde de acadêmicos em educação física ainda são objetos de estudo e monitoramento.

Objetivo

Analisar a duração do sono em universitários do curso de educação física e possíveis associações com fatores sociodemográficos.

Métodos

Estudo transversal que fez parte de uma investigação epidemiológica desenvolvida na cidade de Fortaleza e região metropolitana com 1369 universitários (64% homens) de 24,7±6,5 anos de idade, cursando do primeiro ao oitavo semestre do curso de educação física. Foram coletadas as informações sociodemográficas (sexo e idade), relativas ao curso (turno de estudo, curso e semestre), comportamentais (prática de atividade física e ocupação profissional) e sobre sono (horas de sono - semana e final de semana). Para a análise estatística foram utilizadas as estatísticas descritiva e inferencial através do software SPSS 21.0.

Resultados

A média da duração do sono nos dias com aula foi de 6,2±1,3 horas e 7,6±1,5 aos finais de semana. Quando realizada a razão de prevalência, identificou-se que os universitários do turno integral (RP = 2,04; IC95%= 1,23-3,41) apresentaram maior probabilidade de ter baixa duração do sono semanal em relação aos estudantes do turno vespertino (RP = 0,82; IC95%= 0,53 -1,26) e noturno (RP = 0,63; IC95%= 0,48 -0,63). Por outro lado, indivíduos que estudavam em período noturno (RP = 1,35; IC95%= 1,08-1,68) mostraram maior probabilidade de ter baixa duração do sono aos finais de semana quando comparados aos sujeitos do turno vespertino (RP = 0,68; IC95%= 0,47 -1,00) e integral (RP = 0,93; IC95%= 0,66 -1,30). As demais variáveis investigadas não apresentaram associação significativa com a baixa duração do sono.

Conclusões

Foi identificada baixa duração de sono semanal e associação do turno de estudo integral e noturno com a baixa duração do sono semanal e aos finais de semana, respectivamente.

Palavras-chave

Acadêmicos, Duração do sono, graduação

Área

Área Básica

Autores

Evanice Avelino Souza, Felipe Rocha Alves, Eloilson da Silva Sousa, Diego Ferreira Lima, Mizael Pereira Celestino