Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CARACTERÍSTICAS CRONOBIOLÓGICAS E SUAS REPERCUSSÕES NA QUALIDADE DO SONO DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DA ÁREA DA SAÚDE

Introdução

Na atualidade, a má qualidade do sono de universitários vem tomando cada vez mais destaque como problema de saúde pública mundial. Sem dúvidas, os estudantes universitários, que são adultos jovens e aparentemente saudáveis, é uma população vulnerável em relação a problemas do sono e fatores ambientais (ARAÚJO et al., 2016). Normalmente, essa população mostra um padrão de sono irregular. Durante os dias da semana, os alunos passam por privações de sono durante os dias de aula, devido aos horários de aula muito intensos e de hábitos inadequados de higiene do sono, aliados ao fato que esses horários não respeitam a sua dimensão de matutinidade/vespertinidade, e longa duração do sono nos finais de semana (ARAÚJO et al, 2013).

Objetivo

Investigar a associação de cronotipos com a qualidade do sono de estudantes universitários da área da saúde de uma universidade pública.

Métodos

Trata-se de um estudo observacional, com 70 discentes da educação superior da área da saúde, de idade igual ou superior a 18 anos, de ambos os sexos e matriculados nos cursos de graduação, o projeto foi aprovado pelo CEP, conforme o Parecer 1.502.384/15. Os instrumentos utilizados foram: ficha de avaliação, Questionário de Cronotipo de Munique, Índice de Qualidade de Sono de Pittsburgh e Questionário de Qualidade de Vida SF-6.

Resultados

Na pontuação do PSQI-BR, 69% dos estudantes apresentam uma má qualidade do sono e 11% possuem algum distúrbio do sono, ou seja, 80% dos estudantes avaliados dormem mal (PSQI > 5). Na avaliação cronobiológica, 67% dos estudantes são considerados vespertinos, 29% matutinos e 4% intermediários. Não houve nenhuma correlação estatística entre a qualidade do sono e os cronotipos. No questionário SF-36, os escores médios foram acima de 60, porém nos domínios vitalidade e aspectos emocionais foram < 50, com r = 0,6 e 0,5, respectivamente, quando correlacionados com o Pittsburgh.

Conclusões

Este estudo concluiu que, boa parte apresentou má qualidade ou distúrbio do sono, são em sua maioria vespertinos e com boa qualidade de vida, porém com repercussões negativas nos aspectos emocionais e na sua vitalidade. Não há associação direta entre a qualidade do sono e o cronotipo, mas há uma correlação moderada entre a qualidade do sono com a vitalidade e os aspectos emocionais.

Palavras-chave

Qualidade do Sono. Qualidade de vida. Cronotipo. Estudantes universitários.

Área

Área Clínica

Instituições

Universidade Estadual do Piauí - Piaui - Brasil

Autores

Roniel Alef de Oliveira Costa, Daisy Satomi Ykeda