Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Associação entre os sintomas de ansiedade e depressão materna com o estado nutricional da criança

Introdução

Nos últimos anos alguns estudos têm demonstrado que a presença de problemas psicológicos graves em mulheres, como ansiedade ou depressão, pode influenciar na capacidade das mães em atender as necessidades emocionais básicas de seus filhos. Essa condição psicológica da mãe pode proporcionar um ambiente de vulnerabilidade para a criança, e entre outros desfechos, contribuir para o estabelecimento do excesso de peso corporal da criança.

Objetivo

Verificar se existe associação entre os sintomas de ansiedade e depressão materna
com o estado nutricional de seus respectivos filhos aos 4-5 anos de idade.

Métodos

Este estudo é parte de um estudo maior, de coorte, que envolveu 435 mulheres e seus filhos atendidos em uma maternidade pública de Joinville, SC em 2012. Para este estudo foram consideradas 181 mães e crianças que concordaram em participaram do terceiro seguimento da coorte, realizado em 2016-2017. Os dados foram coletados nas residências das famílias, com o auxílio de psicólogos e nutricionistas, mediante agendamento prévio. Para avaliar os sintomas de ansiedade e depressão materna foram utilizados os Inventários de Ansiedade e Depressão de Beck. O estado nutricional das crianças foi avaliado segundo o Índice de Massa Corporal (IMC) por idade e sexo.

Resultados

Das 181 mães que participaram do estudo, 19,4% e 20,0% apresentaram, respectivamente, sintomas de ansiedade e depressão moderado/severo. Entre as crianças, 30,6% foram classificadas como tendo risco de sobrepeso/obesidade. Não houve associação (p>0,05) entre ansiedade materna e estado nutricional da criança. No entanto, o sintoma de depressão foi significativamente associado (p=0,03) ao estado nutricional da criança. Entre as crianças com risco de sobrepeso/obesidade, 29,6% destas foram filhas de mães classificadas com sintomas de depressão.

Conclusões

O sintoma de depressão materno está associado ao estado nutricional da criança aos 4 anos de idade. Programas de intervenção que atuem de forma a educar a prática de uma vida saudável, bem como a prevenção da saúde mental merecem atenção especial, e devem ser implementados com brevidade, sobretudo em crianças e mulheres em idade fértil.

Palavras-chave

Ansiedade; Depressão; Estado nutricional; Sobrepeso; Obesidade infantil.

Área

Área Básica

Instituições

Universidade da Região de Joinville - Univille - Santa Catarina - Brasil

Autores

Bruna Constantino, Maikon de Sousa Michels, Melody Mansani Trombelli, Jessica Cristina Silva, Lidiane Schultz, Juliana Malinovski, Julia Furlan, Marco Fábio Mastroeni