Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PROPRIEDADE PSICOATIVA DE BEBIDA ENERGIZANTE NO COMPORTAMENTO DE RATOS PRIVADOS DE SONO

Introdução

O sono é uma necessidade básica para a sobrevivência humana e animal. A dificuldade em dormir, decorrente de diferentes causas, altera o bem-estar corporal e mental, interferindo na qualidade de vida. Atualmente, alguns estimulantes são consumidos como uma maneira de reduzir a sonolência decorrente da privação do sono.

Objetivo

Investigar as alterações comportamentais e cognitiva provocados pela privação de sono em ratos, sob efeito de energético.

Métodos

Para tal, foram utilizados 42 ratos Wistar, com 2 meses de idade, pesando em torno de 225 g, privados de sono por 24 h, em um modelo de plataforma múltipla. Os ratos foram divididos aleatoriamente para receberem 6 tipos de tratamento (n=7 animais/grupo): Controle (C), Privação de sono (PS), Bebida energética consumida 24h antes dos testes experimentais (BE24h), Bebida energética consumida imediatamente antes de iniciar as 24h de privação de sono (BE24h+PS), Bebida energética consumida 1h antes dos testes (BE1h), Bebida energética consumida 1h antes dos testes em animais que estavam à 24 horas em privação do sono (PS+BE1h). A bebida energética administrada (Red Bul®) foi calculada de acordo com a dose de 1,8 ml/kg e feita por gavagem. Os modelos experimentais utilizados foram campo aberto (atividade locomotora), labirinto em cruz elevado (LCE) (ansiedade) e esquiva inibitória do tipo “step down” (aprendizagem/memória).

Resultados

Observou-se que os animais privados de sono, tomando ou não bebida energética, apresentaram uma redução da locomoção no campo aberto e aumento das entradas e movimentação nos braços fechados e abertos do LCE. O consumo de bebida energética somado a privação de sono aumentou o tempo de permanência deles nos braços abertos do labirinto. Esse dado foi observado principalmente nos animais do grupo PS+BE1h, que além do elevado tempo de permanência também foi observado um elevado número de entradas dos braços abertos. A privação de sono interferiu na aprendizagem do animal mesmo quando usado bebida energética.

Conclusões

Com base nos resultados obtidos, sugere-se que o uso de energético pode se constituir em um bom recurso químico visando reduzir os níveis de ansiedade e alguns parâmetros indicativos de estresse observados na locomoção, de uma forma dependente do modelo experimental utilizado. Já para a memória o uso de energético não apresentou efeito significante. Apoio financeiro: DPG/UnB e FINATEC.

Palavras-chave

Bebida Energética, Privação de Sono, Ansiedade, Memória, Locomoção.

Área

Área Básica

Instituições

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA - Distrito Federal - Brasil

Autores

Raquel Pinto Caldeira Almeida, Fabiana Aparecida Botta Amaro, Eduardo Gaio, Josélia dos Santos Alves, Vania Moraes Ferreira