Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Duração e qualidade do sono e desempenho esportivo de atletas de elite

Introdução

Nos seres humanos, os ritmos biológicos são observados em diferentes processos fisiológicos, mentais, físicos e comportamentais. Considerando que mudanças circadianas implicam em ajustes no relógio biológico o significado dos ritmos circadianos ou das variações diurnas de aproximadamente 24 horas teria também impacto no desempenho esportivo de todos esportistas, amadores ou atletas.

Objetivo

Apresentar o protocolo de intervenção elaborado para atletas de elite da natação brasileira se adequarem para o horário das provas e comparar o desempenho esportivo dos atletas de natação brasileiro foi alterado pelos horários das provas nos Jogos Olímpicos Rio2016.

Métodos

Participaram do estudo 14 atletas da seleção brasileira de natação (masculino: n= 10; 71% e feminino: n= 4; 29%) com idade média igual a 27,3±2,4 anos. Foi realizado acompanhamento dos atletas durante dois períodos de preparação (basal e intervenção) para os Jogos Olímpicos Rio 2016 nos meses de junho e julho de 2016. Durante a competição, foi realizado o registro do tempo de reação (TR) e do tempo da prova (TP) de cada atleta nas diferentes provas. A estratégia de intervenção adotada alterou a rotina diária dos atletas em três horas. Para analisar o cronotipo dos atletas foi utilizado o Questionário de Horne e Östberg. Para registrar o ciclo sono-vigília utilizamos actígrafo durante 10 dias. As estratégias de intervenção utilizadas foram: Banho de Luz (30 minutos contínuos) e Higiene do sono. Os valores de tempo de reação (TR) no bloco de partida e prova (TP) foram registrados e conferidos com os resultados oficiais, divulgados no Rio2016 Swimming Results Book.

Resultados

Em relação ao cronotipo dos atletas, eles foram classificados em indiferentes (n = 9; 64%), matutino moderado (n = 3; 21%), matutino (n = 1; 7%) e vespertino moderado (n = 1; 7%). Do ponto de vista dos períodos de avaliação da quantidade e qualidade do sono, os atletas apresentaram decréscimo no tempo total de vigília (Δ = -13%; TE = 1,0) e latência de sono (Δ = -33%; TE = 0,7), aumento do tempo total de sono (Δ = 13%; TE = 1,1; p = 0,04) entre o basal e o período de intervenção pré-competição.

Conclusões

Concluímos que a intervenção apresentada foi efetiva para não atrapalhar o desempenho do TR e TP de atletas de elite da natação brasileira. Agradecimentos: CEPE, CEMSA, AFIP, CAPES, CNPq, COB, FUNDEP, FAPEMIG.

Palavras-chave

Palavras-Chave: desempenho esportivo, atletas de elite, actigrafia, cronobiologia.

Área

Área Clínica

Instituições

Comitê Olímpico do Brasil - Rio de Janeiro - Brasil, Universidade Federal de Minas Gerais - Minas Gerais - Brasil, Universidade Federal de São Paulo - Sao Paulo - Brasil

Autores

Andressa Silva, Mario Simim, Fernanda Narciso, Jorge Jose Bichara, Sebastian Rafael Pereira, Sidney Cavalcante Silva, Sergio Tufik, Marco Tulio De Mello