Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

TRANSTORNO COMPORTAMENTAL DO SONO REM COMO MARCADOR DE DOENÇA DE PARKINSON

Introdução

Estudos longitudinais têm mostrado que a maioria dos pacientes com Transtorno Comportamental Idiopático do Sono REM é eventualmente diagnosticada com uma doença neurodegenerativa, tipicamente a Doença de Parkinson. Sendo essa doença muitas vezes devastadora procura-se identificar um marcador e o Transtorno Comportamental do Sono REM parece ser um, desde a descrição de casos apresentada por Schenck e colaboradores.
A avaliação do Transtorno Comportamental do Sono REM é realizada pela anamnese associada ao estudo videopolissonográfico de noite inteira. Já a Doença de Parkinson é diagnosticada clinicamente e, recentemente tem se empregado também a cintilografia de perfusão cerebral com TRODAT marcado com Tc-99m na tentativa de um diagnóstico precoce.

Objetivo

Nosso estudo é simples e contempla a avaliação com TRODAT de 6 pacientes portadores de Transtorno Comportamental do Sono REM idiopático (iRBD) na busca de evidência de doença neurodegenerativa.

Métodos

Examinamos 6 pacientes nossos, indivíduos adultos do sexo masculino com idade variando entre 62 e 81 anos de idade e diagnosticados com iRBD pelos critérios do ICSD-3. O fato de estarem em tratamento não foi fator de exclusão. O intervalo de tempo entre o início dos sintomas e o diagnóstico variou entre 1 e 5 anos. Todos os pacientes foram submetidos ao método denominado de cintilografia de perfusão cerebral com TRODAT. O achado de redução da densidade de receptores dopaminérgicos nesses pacientes estaria associado a Doença de Parkinson.

Resultados

Todos os pacientes estudados não apresentavam evidência clínica ou radiológica de doença neurodegenerativa e vieram ao Laboratório de Sono com história de sonhos vívidos, agitação noturna e agressão involuntária ao cônjuge durante o sono. A Polissonografia realizada confirmou o diagnóstico de Transtorno Comportamental do Sono REM com presença de tônus muscular aumentado nessa fase de sono e a falta de outros diagnósticos associados ou uso de antidepressivos nos levou ao diagnóstico de iRBD. A cintilografia cerebral com TRODAT foi positiva em 5 de 6 pacientes, evidenciando redução da densidade de receptores dopaminérgicos

Conclusões

Consideramos extremamente relevante o estudo com TRODAT de pacientes com Transtorno Comportamental do Sono REM Idiopático e, mais do que tudo, o acompanhamento desses pacientes, que pode nos dar uma ideia do risco ou não de conversão a uma doença neurodegenerativa, em especial Doença de Parkinson

Palavras-chave

Parkinson, Sono REM, Transtorno comportamental, Cintilografia

Área

Área Clínica

Instituições

HOSPITAL MOINHOS DE VENTO - Rio Grande do Sul - Brasil, SONOLAB - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

Geraldo Nunes Vieira Rizzo